Espaço do Associado

Email:
Senha:



Associe-se e tenha vantagens!

Esqueci minha senha

Localizador Profissional

Nome:

Cidade:

Assinar Newsletter!

Artigos Médicos - Lipoaspiração


A lipoaspiração consiste em um procedimento para remoção de gordura localizada e remodelação do contorno corporal. A lipoaspiração teve seu início com o cirurgião francês Yves-Gérard Illouz que, a popularizou em Paris, em 1978; tendo introduzido a técnica denominada “Wet”, em 1980. Klein, em 1987, popularizou a técnica “Tumescente” e, Fodor, em 1990, a técnica “Superwet”. Esses termos americanos estão relacionados com a infiltração de determinadas soluções, das áreas a serem aspiradas, com o intuito de diminuir o sangramento e prolongar o tempo de analgesia.

Todavia, podemos dizer que, a lipoaspiração evoluiu com o aprimoramento das técnicas, podendo ser classificada como: Mecânica; Seringa; Ultra-sônica e Vibrolipoaspiração.Sendo que, sua principal indicação consiste na remoção da gordura localizada e como auxiliar na correção da ginecomastia e alguns cirurgiões a utilizam na mamoplastia redutora.

Não obstante, a maior polêmica está concentrada na quantidade de gordura a ser aspirada; bem como, a procura de alguns pacientes que desejam emagrecer a partir da lipoaspiração. Existem os cirurgiões que defendem a retirada de grandes volumes de gordura. No entanto, a Sociedade Americana de Cirurgia Plástica e Reconstrutora estabelece como limite aspirado de segurança, 05 litros para a técnica superwet. No Brasil, com objetivo de garantir ao paciente segurança e bem-estar e informar aos médicos os limites e critérios de execução da lipoaspiração, o Conselho Federal de Medicina (CFM) aprovou a Resolução n° 1.711/2003, regulamentando o assunto. Os volumes de gordura aspirados não podem ultrapassar 7% do peso corporal, ao se aplicar a técnica infiltrativa, ou 5%, se utilizada a técnica não-infiltrativa. Uma observação importante: é proibido atingir mais de 40% da área corporal do paciente, seja qual for a técnica utilizada.

No entanto, como todo ato cirúrgico, a lipoaspiração não é desprovida de complicações e essas vão desde os hematomas, equimoses, febre que pode ocorrer nos primeiros 03 dias de pós-operatório, irregularidades do contorno corporal, perfuração da cavidade peritoneal e fenômenos trombo-embólicos, como as tromboses venosas profundas e embolia pulmonar.

Assim sendo, a lipoaspiração deve ser encarada com todo rigor cirúrgico pelos profissionais e pacientes.

Referências Bibliográficas:

01- Liposuction: Procedure for Focal Volume Reduction and Body Contour
Remodeling
Antonio Fuente del Campo, M.D., Eustacio Rojas Allegretti, M.D., Jose Amandio Fernandes Filho, M.D.,
Christopher Burnside Gordon, M.D.
World J. Surg. 22, 981–986, 1998

02- Systematic Procedure for Ultrasonically Assisted Lipoplasty
J. Millán Mateo, M.D. and M.M. Vaquero Pérez, M.D.
Aesth. Plast. Surg. 24:259–269, 2000

03- Vibroliposuction: A Study of Rate of Aspiration
Fausto Viterbo, Ph.D., M.D., and Juan S. Ochoa, M.D.
Aesth. Plast. Surg. 26:118–122, 2002

04-Limites da Lipoaspiração- Fábio Xerfan Nahas-
PEC(Programa de Educação Continuada)-Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica

05- Conselho Federal de Medicina- Resolução no. 1.711/2003.

Dr. Joaquim José de Lima Silva
Cirurgião Plástico
CRM 4407